O que é o Bio-Well (GDV)

O Bio-Well é uma ferramenta revolucionária baseada na técnica de visualização eletro-fotônica ou de descarga de gás (efeito Kirlian) feita especialmente para avaliação expressa do estado funcional ou energético de uma pessoa. A interpretação dos exames é baseada na Medicina Tradicional Chinesa (MTC), em Auyrveda e em muitas pesquisas científicas e clínicas feitas ao longo de 20 anos. Permite prever os distúrbios funcionais e tomar ações preventivas antes que a doença ocorra. É rápido, visual e fácil de usar.

O Bio-Well foi desenvolvido por uma equipe internacional liderada pelo Dr. Konstantin Korotkov e traz a poderosa tecnologia conhecida como Técnica de Visualização de Descarga de Gás para comercializar de maneira mais acessível do que nunca. O produto consiste em uma câmera de mesa e software acompanhante. Os anexos de acessórios também estão disponíveis para compra para realizar varreduras de Ambiente e BioClip.

A Tecnologia: Técnica GDV

A Técnica GDV é o registro de computador e análise de emissões eletro-fotônicas de diferentes objetos, incluindo biológicos (especificamente os dedos humanos) resultantes da colocação do objeto no campo eletromagnético de alta intensidade na lente do dispositivo.

Quando uma varredura é realizada, uma corrente elétrica fraca é aplicada nas pontas dos dedos por menos de um milissegundo. A resposta do objeto a esse estímulo é a formação de uma variação de uma “nuvem de elétrons” composta de fótons de energia de luz. O “brilho” eletrônico dessa descarga é capturado pelo sistema da câmera e depois traduzido e transmitido de volta em representações gráficas para mostrar as avaliações de tensão.

A imagem que criamos no instrumento Bio-Well, baseia-se em idéias da Medicina Tradicional Chinesa e é comprovada por 20 anos de experiência clínica de centenas de praticantes com muitos milhares de pacientes. O processo de digitalização é rápido, fácil e não intrusivo… faça diariamente para obter melhores resultados! Obtenha feedback em tempo real sobre quais fatores – positivos e negativos – afetam seu estado de estresse. Com o acessório Bio-Well Sputnik, meça também as energias do ambiente e do objeto! Bio-Well não é um instrumento médico. Ele fornece uma impressão de seus níveis de energia e estresse e permite que os usuários vejam a transformação do dia-a-dia e a influência de diferentes situações e estímulos. O software amigável torna o processamento de dados simples e conveniente para usuários não experientes.

O Dr. Korotkov é professor de Física na Universidade Federal de Pesquisa, Tecnologias de Informação, Mecânica e Ótica de São Petersburgo, em São Petersburgo, Rússia. Ele é um cientista líder reconhecido internacionalmente por sua pesquisa de energia pioneira. O professor Korotkov desenvolveu a técnica de Visualização de Descarga de Gás, baseada no efeito Kirlian em 1995.

“Eletroforesfenos e energografia como prova da existência da energia polar fisiológica”. Este foi o nome de um pequeno livro de um médico de São Petersburgo, Messira Pogorelsky, onde ele descreveu seus experimentos em bioeletrografia no livro, publicado em 1893. Muitas fotografias do brilho dos dedos das mãos e dos pés, orelhas e nariz mostram como o padrão de fluorescência varia quando o estado psíquico de uma pessoa muda. No entanto, este trabalho estava longe de ser o primeiro.

Na década de 1770, muitos pesquisadores fizeram experimentos com eletricidade. Não houve benefício prático disso: mais de 100 anos ainda restavam até a invenção da lâmpada elétrica por Tomas Edison; a vida passava com luzes de velas, as monarquias européias pareciam eternas, e os estudos de ciência eram principalmente o destino de uma aristocracia. Em 1777, um físico alemão George Lichtenberg tocou um eletrodo de metal coberto de vidro e conectou a voltagem com o dedo enquanto experimentava a máquina elétrica. E de repente uma explosão de faíscas voou ao redor. Isso era magicamente bonito, embora um pouco assustador. Lichtenberg puxou o dedo e repetiu o experimento. O dedo colocado no eletrodo estava brilhando com uma luz azul brilhante e brilhos semelhantes a uma árvore dispersos. Lichtenberg, sendo um verdadeiro cientista acadêmico, investigou o comportamento dessa fluorescência em detalhes, embora tenha substituído um fio aterrado por um dedo. O efeito foi o mesmo, que mais tarde sugeriu a ideia de que existe alguma energia especial no corpo e, em primeiro lugar, as propriedades elétricas de torção foram atribuídas a ela. Artigos de Lichtenberg, magistralmente feitos em alemão, ainda são citados em livros sobre a descarga de gás. Outras pesquisas demonstraram que a fluorescência elétrica não era tão raramente encontrada na natureza …

No século XIX, os enigmas da eletricidade estavam se abrindo para as pessoas. Um dos grandes inventores foi Nicola Tesla, de quem agora temos lâmpadas e aparelhos de televisão. Ele inventou o gerador de corrente alternada. No entanto, se não fosse ele, alguém teria feito isso. As invenções ganham vida quando surge uma necessidade social por elas. Então pessoas diferentes, simultaneamente e independentemente, começam a chegar às mesmas idéias. Isso está ligado ao fato de que as idéias têm sua lógica de desenvolvimento, e os desenvolvedores só devem intuitivamente sentir essa lógica. Depois de levantar um bom dinheiro com suas patentes, Nicola Tesla começou os misteriosos experimentos sobre transferência de energia sem fios. Ele não terminou seus desenvolvimentos e morreu na miséria, mas até agora os entusiastas vêm tentando investigar suas idéias. Acostumamo-nos ao nosso progresso técnico e colhemos os seus frutos com prazer, mas é o único meio possível de desenvolvimento? No auge de sua carreira, Tesla gostava de dar palestras públicas e impressionar o público com a seguinte experiência. A luz foi desligada no quarto, Tesla ligou o gerador de seu próprio projeto, ficou no eletrodo da plataforma, e seu corpo ficou envolto no brilho. O cabelo ficava em pé, raios brilhantes de luz irradiavam no espaço. O experimento foi muito eficaz, embora nem todos os que desejavam conseguissem repeti-lo: na verdade, o brilho deles era muito menor e, até mesmo, algumas pessoas estavam desaparecidas. Não em vão foi dito que Nicola Tesla tinha estado de energia especial.

Pesquisas adicionais não foram muito além das investigações do brilho dos dedos, às vezes das orelhas, nariz e outras partes proeminentes do corpo. É possível reproduzir os experimentos de Tesla e fazer todo o corpo brilhar? Sim. Mas é necessário? Equipamentos potentes, que não são seguros se não forem manuseados corretamente, são necessários para tal experimento. Além disso, quanto mais forte o brilho elétrico, mais ozônio é gerado no ar. Uma alta concentração de ozônio está longe de ser saudável. Então, onde está a semelhança nos experimentos de Lichtenberg, Tesla e o raio? Em todos esses casos, a descarga de gás aparece perto da barra de terra. Alta intensidade de campo é formada perto de sua extremidade afiada quando colocada em um campo elétrico. Elétrons, que sempre existem no ar ou são emitidos pelos corpos, começam a acelerar neste campo e, tendo captado a velocidade necessária, ionizam as moléculas de ar. Esses, por sua vez, emitem fótons, principalmente nas regiões espectrais azul e ultravioleta. Aqui o brilho aparece. Além disso, do ponto de vista da física, tanto uma unha, uma árvore, um dedo humano e uma pessoa podem ser a vara. Tudo depende da escala. Geradores usados ​​em Bioeletrografia têm poder muito pequeno. Isso significa que eles não podem dar alta corrente, mesmo se você lamber o eletrodo com a língua. Além disso, estes geradores fazem uso de voltagens de alta frequência e impulsos curtos e, pelas leis da fisiologia, essa corrente não pode penetrar no organismo, pois desliza sobre a superfície da pele.

Uma contribuição significativa para o estudo dessas fotografias foi feita por um talentoso cientista bielorrusso, Jacob Narkevich-Yodko, no final do século XIX. Ele era um proprietário de terras independente e passou a maior parte do tempo em sua propriedade, acima do rio Neman. Lá ele ativamente experimentou eletricidade, aplicando-a na agricultura e medicina. Um paralelo direto com a medicina moderna pode ser extraído da descrição de experimentos sobre a estimulação de plantas com corrente elétrica, eletroterapia e magnetismo por J. Narkevich-Yodko. Mas as realizações científicas do nosso tempo não são apenas “o novo como um velho bem perdido”. Esta é uma nova convolução da percepção. No final do século XIX, quando os princípios da eletricidade estavam apenas emergindo, quando a principal fonte de luz era uma lâmpada de querosene, os pesquisadores buscavam aplicar eletricidade nas áreas mais im- plungentes da vida. Eles eram como se nomeassem os capítulos de um novo livro, mas não tinham poder suficiente para escrever o conteúdo. Portanto, encontramos as fontes de uma ou outra direção científica moderna nas obras dos entusiastas do século XIX. J. Narkevich-Yodko desenvolveu sua própria técnica original para fazer eletrofotografias. Ele fez mais de 1.500 fotografias de dedos de pessoas diferentes, folhas de plantas, grãos e, na década de 1890, essa pesquisa atraiu a atenção da comunidade científica. Em 1892, J. Narkevich-Yodko apresentou-se para os professores do Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, após o qual foi nomeado “Membro Funcionário deste Instituto” pela ordem do patrono do Instituto, o Príncipe de Oldenburg. Os resultados de Narkevich-Yodko criaram uma tal impressão na comunidade científica que, em 1893, uma conferência sobre eletrografia e eletrofisiologia foi organizada na Universidade de São Petersburgo. No mesmo ano Narkevich-Yodko visitou os centros científicos da Europa: Berlim, Viena, Paris, Praga, Florença e deu palestras lá. Seus experimentos em eletrografia foram reconhecidos como importantes e vislumbrando desenvolvimento adicional em todos os lugares. Narkevich Yodko recebeu medalhas em várias exposições e no congresso da França em 1900 foi nomeado professor de eletrografia e magnetismo. J. Narkevich-Yodko combinou o trabalho científico com a atividade pública. Ele organizou um centro de saúde em sua propriedade e recebeu pessoas de círculos sociais muito diferentes: de grandes a simples pessoas, e curou muitas doenças diferentes com a ajuda dos mais novos métodos da época. Mas com a morte de J. Narkevich-Yodko, os contemporâneos esqueceram suas obras. Ele fez uma descoberta interessante, mas não conseguiu superar a barreira que sempre esteve no caminho da ampla introdução. Houve tantos métodos interessantes, invenções, desenvolvimentos, que desapareceram junto com seus autores! Para fazer uma ideia ser reconhecida publicamente é necessário introduzi-la profundamente na consciência coletiva, atrair estudantes, seguidores e companheiros. É obrigatório publicar artigos, livros, escritos por diferentes autores e, de maneira aconselhável, em diferentes países. Vários pesquisadores devem testar independentemente uma nova idéia e certificar-se de que ela é eficaz, mas para isso eles devem ter um desejo! E tal “superação de uma barreira potencial” geralmente requer mais de dez anos. Se o autor tem persistência, energia e otimismo suficientes para seguir seu próprio caminho, a ideia começa a viver de forma independente e, às vezes, o autor recebe o interesse. Se não, então não. E, naturalmente, muito depende do favor de “lady Luck”. A situação social geral na Rússia desempenhou um papel na vida de Narkevich-Yodko. Ventos sociais malignos estavam soprando, o que se transformou em um furacão que destruiu o modo de vida vagaroso do século XIX e transformou as belas propriedades acima dos rios Neman e Volga em ruínas abandonadas e frias. «Nenhum profeta é aceito em seu próprio país», especialmente quando esse profeta pensa de maneira não-padrão e não se enquadra no padrão usual. Mas pode um profeta viver uma vida normal?

Praticamente ao mesmo tempo, do outro lado do globo no Brasil, experimentos muito semelhantes foram realizados por um monge católico, Padre Landell de Morua. A vida de um monge deixou muito tempo livre, depois de ler orações e realizar rituais. Padre de Morua inventou a técnica de fotoregistração do halo luminoso e começou a dar palestras e escrever para líderes sociais, a fim de atrair a atenção para seus filhos. A invenção do padre de Morua produziu muita atenção, parabéns, banquetes, mas não foi generalizada. Então o pequeno padre inventou o rádio (praticamente simultaneamente com Popov e Markoni), mas novamente ele não conseguiu atrair grandes multidões. Mesmo os militares. No início do século XX, ninguém se lembrava sequer do brilho misterioso. Havia muitos outros problemas: guerras, revoluções, avanços na física, descoberta de antibióticos e raios de roentgen – todos tinham certeza de que estava muito próximo da vitória definitiva. Só em 1930 mais ou menos a vida voltou ao normal. E aqui apareceu o misterioso brilho novamente. E, como que por acaso, foi descoberto de novo, mas há uma regra por trás de toda chance. Em 1939, dois tchecos, S. Pratt e J. Schlemmer. fotografias publicadas mostrando um brilho curioso ou aura ao redor das folhas. No mesmo ano, o engenheiro elétrico russo Semyon Kirlian e sua esposa Valentina desenvolveram sua própria técnica depois de observar um paciente que estava recebendo tratamento médico de um gerador elétrico de alta frequência. A eletroterapia era popular na época e eles notaram que quando os eletrodos eram trazidos para perto da pele do paciente, havia um brilho semelhante ao observado em um tubo eletrificado preenchido com neon. A fotografia Kirlian consistia em colocar filme fotográfico em cima de uma placa condutora e prender outro condutor a uma mão, folha ou outra parte de uma planta. Quando os condutores foram energizados por uma fonte de energia de alta voltagem de alta frequência, a imagem resultante mostrou uma silhueta do objeto cercado por uma aura de luz.

Semyon Kirlian passou a maior parte de sua vida com sua esposa Valentina em um pobre apartamento de dois quartos na esquina das ruas Gorky e Kirov em Krasnodar. A casa de madeira de dois andares onde eles haviam iniciado sua vida familiar foi varrida pelo progresso – um programa de construção transformou a pequena cidade provinciana nas margens do rio Kuban em um centro industrial. Kirlians foram profundamente levados com os experimentos com auras de sujeitos vivos, e desde 1939 eles trabalharam duro. O único descanso que podiam pagar era caminhar de mãos dadas sob as árvores e ao longo de campos floridos tão típicos das cidades do sul da Rússia. Os Kirlians publicaram os resultados de seus experimentos pela primeira vez em 1958, e em 1961 relataram que as características da ponta do dedo as auras não só variavam em pessoas diferentes, mas também eram afetadas por seu estado emocional. Se alguém se sentiu muito ansioso ou estava em um estado oposto de relaxamento profundo durante a meditação, houve uma mudança correspondente no tamanho e intensidade do brilho. Seu trabalho era virtualmente desconhecido no Ocidente até 1970, quando dois norte-americanos, Lynn Schroeder e Sheila Ostrander, publicaram seu livro, “Descobertas psíquicas por trás da cortina de ferro”. Uma das investigações mais extensas foi realizada no Centro de Ciências da Saúde da UCLA, onde Moss e Johnson fizeram mais de 10 mil fotografias Kirlian “modificadas”, incluindo as pontas dos dedos de mais de 500 pessoas e mais de 1.000 folhas. Eles relataram que os campos de energia humanos foram afetados por inúmeros fatores, como a ingestão de álcool, a realização de exercícios de ioga e durante a hipnose. Eles confirmaram que as mudanças foram mais dramáticas quando experimentaram diferentes emoções, e que freqüentemente diferiam quando o pesquisador e o sujeito eram de diferentes gêneros, ao contrário de experimentos com pessoas do mesmo sexo. Uma figura estrita de autoridade, como um pesquisador experiente e qualificado, tendia a provocar uma coroa muito menor comparada a um assistente mais informal e amigável de status inferior. Em estudos envolvendo quatro “curandeiros”, suas coronas eram muito maiores e mais brilhantes antes da sessão de cura do que durante ou após a intervenção. Em contraste, as coronas de seus pacientes aumentaram acentuadamente em relação ao status basal, sugerindo que houve uma transferência real de energia para elas do curandeiro. Diferenças dramáticas na coroa também foram encontradas antes e após o tratamento com acupuntura. O brilho e a clareza da coroa foram particularmente proeminentes quando as agulhas foram inseridas em pontos de acupuntura conhecidos por estarem relacionados às queixas particulares do paciente. Com base em extensas investigações, os pesquisadores concluíram que essas mudanças não poderiam ser explicadas por alterações na resistência da pele ou mudanças de temperatura devido ao fluxo sanguíneo vascular periférico.

No século XX, muitos pesquisadores foram atraídos pela fotografia Kirlian, centenas de livros e artigos foram publicados, mas a aceitação científica da fotografia Kirlian foi bastante limitada porque a qualidade do equipamento usado pelos primeiros pesquisadores variou consideravelmente e os resultados foram inconsistentes, pois não havia padronização. As coisas melhoraram quando um grupo multidisciplinar liderado por William Eidson, professor de física na Universidade Drexel, na Filadélfia, mostrou que era possível visualizar os parâmetros elétricos de um espécime em tempo real, tornando assim possível mapear campos de energia humana e quaisquer mudanças rápidas. Este projeto de seis anos e pesquisas relacionadas foram resumidos em um artigo de 1976 na prestigiosa revista Science. A União Internacional de Bioeletrografia Médica e Aplicada foi formada em 1987 para ajudar a padronizar equipamentos, métodos de pesquisa e aquisição de dados. Pesquisadores como o naturopata alemão e acupunturista Peter Mandel e Newton Milhomens no Brasil desenvolveram seu próprio modo de interpretação da fotografia kirliana dos dedos das mãos e dos pés humanos. Peter Mandel foi um dos primeiros, que energizou certos pontos de acupuntura usando diferentes luzes coloridas para obter uma resposta desejada. O sistema de diagnóstico de emissão de análise de energia de Mandel utilizou a fotografia de Kirlian e acredita-se que sua terapia com a coloração esogética restaurará o equilíbrio entre yin e yang. Todas essas modalidades, bem como a estimulação de pontos de acupuntura a laser não invasiva, têm sido usadas com vários graus de sucesso em milhares de pacientes ao longo dos anos.

A tecnologia de visualização de descarga de gás (GDV) foi desenvolvida na Rússia pela equipe do professor Konstantin Korotkov em 1995. O dispositivo GDV é um sistema computadorizado de última geração que substituiu a fotografia tradicional Kirlian por várias razões. A principal diferença é que permite a visualização direta e em tempo real e a análise das mudanças nos campos de energia humanos, uma vez que os dados são quantificados e analisados por software sofisticado. Como os resultados são obtidos tão rapidamente, tornou-se um “método expresso” não apenas para o diagnóstico, mas também para detectar anormalidades que exigem uma investigação mais detalhada. Mais importante ainda, uma vez que esta tecnologia e os protocolos utilizados são padronizados, os resultados do GDV obtidos por diferentes pesquisadores podem ser comparados com a confiabilidade. Os resultados são interpretados com base nas conexões de energia dos dedos com diferentes órgãos e sistemas através de meridianos que têm sido utilizados em acupuntura e medicina tradicional chinesa há milhares de anos.O dispositivo GDV é baseado na estimulação de emissões de fótons e elétrons de um objeto quando Ele é colocado em um campo eletromagnético e sujeito a breves pulsos elétricos. Esse processo é chamado de “emissão de fotoelétrons” e foi amplamente estudado com técnicas eletrônicas de ponta. As partículas emitidas aceleram no campo eletromagnético, gerando avalanches eletrônicas na superfície da placa dielétrica (vidro) em um processo chamado “descarga de gás deslizante”. A descarga causa um brilho da excitação das moléculas no gás circundante, que é constantemente medida . Os pulsos de tensão estimulam as emissões optoeletrônicas que são amplificadas na descarga de gás, e a luz produzida por esse processo é registrada por uma câmera CCD (charge coupled device) sensível que a converte em uma imagem de computador colorida, ou BIO-gram. Os dados obtidos dos dedos de ambas as mãos são convertidos em uma imagem do Campo de Energia Humana usando software proprietário sofisticado. Essa tecnologia tem implicações extraordinárias para todos os campos relacionados à saúde, incluindo terapias convencionais, bem como complementares ou alternativas. Uma revisão abrangente dessas diversas aplicações do GDV pode ser encontrada em um livro recente em co-autoria com o Dr. E. Yakovleva, da Universidade de Medicina de Moscou. A pesquisa com o dispositivo GDV está sendo realizada atualmente em universidades e institutos de pesquisa em todo o mundo em medicina, “medicina energética”, treinamento esportivo, biofísica, parapsicologia e outras disciplinas (por favor, veja a seção Documentos). O GDV tem sido usado em vários projetos de pesquisa significativos que confirmaram sua utilidade, confiabilidade e valor. A tecnologia GDV fornece um método conveniente e fácil de usar para avaliar pacientes com uma ampla gama de queixas e também pode ser utilizado para avaliar respostas a medicamentos, meditação, terapia de redução do estresse ou qualquer outra intervenção.

A medicina contemporânea se concentra principalmente em tratamentos baseados na perspicácia clínica e diagnósticos biomédicos. Um problema clínico importante é a avaliação, controle e manutenção da capacidade funcional de uma pessoa relativamente saudável, o estado de uma criança durante a fase de crescimento dinâmico e dos doentes durante a remissão. Portanto, a busca por um método eficaz e fácil, associado a critérios para a avaliação objetiva do estado de saúde para as pessoas relativamente saudáveis e pacientes doentes parece intuitivamente óbvio e necessário. Vários questionários que abordam aspectos particulares do estado clínico em humanos estão disponíveis. qualidade de saúde pode ser bem estimada pela medição de um número de parâmetros fisiológicos. No entanto, estes questionários têm várias restrições: a) eles não são adequados para crianças pequenas; b) eles dependem fortemente de fatores culturais e outros fatores das pessoas interrogadas. Portanto, o desenvolvimento de um método fáci de usar e econômico para a avaliação instrumental objetiva e controle do seu nível de saúde é altamente desejável. Uma solução é a técnica de diagramas de GDV. Experimentos em grandes grupos de pessoas relativamente saudáveis de vários países resulta em uma distribuição de um parâmetro JS calculado no programa GDV diagrama que segue uma lei quasi-Gauss. Este parâmetro é graficamente representado como um logaritmo da área de GDV-gramas de dedos, normalizadas de acordo com a área da oval interior e GDV-gramas de dedos de uma pessoa média saudável. O JS não depender das divisões do setor de GDV-gramas. Ela é apenas definida pela superfície total e representa o desvio do valor GDV gramas medido a partir do estado ‘ideal’. Para mais informações sobre o uso de Bio-Well na medicina, você pode na subseção “Pesquisa” da seção de ciência.

O desenvolvimento de métodos que permitam prever as performances dos atletas na competição é a tarefa mais importante e ambiciosa nos esportes. A presença de um método tão eficaz poderia ajudar treinadores para fazer a escolha certa de jogadores para o próximo torneio e poderia melhorar significativamente o desempenho da equipe nas competições. Pessoas e em particulares atletas são os mais complexos sistemas de energia e de informação cujo estado depende de uma série de fatores. Muitas vezes até mesmo atletas profissionais apresentam uma atuação ruim, e se este atleta é um membro da equipe, isso pode levar ao mau desempenho de toda a equipe. A razão para o fraco desempenho de um jogador é determinada por seu / sua condição fisiológica deficiente, o que pode afetar tais aparentemente não relacionados com os fatores atividade profissional como turbulência em sua vida pessoal ou familiar, exaustão emocional de outros tipos de atividade, dieta pobre, overtraining na fase preparatória para a competição, etc.

O método GDV para o diagnóstico da condição humana, desenvolvido ativamente nos últimos anos no mundo e especialmente na Rússia para determinar o estado psicofisiológico de atletas leva em conta a influência de muitos fatores negativos para o estado psicofisiológico de um atleta. Essas peculiaridades da técnica GDV torna uma ferramenta de diagnóstico de valor inestimável no esporte. Outras vantagens da técnica GDV incluem a facilidade de utilização, o tempo não invasivo e muito curto para análise, o que é muito importante no caso de aplicações de esporte, uma vez que os atletas muitas vezes estão emocionalmente sobrecarregado com a concorrência e não têm tempo e energia suficiente por muito tempo para estudos laboratoriais complexos, que pode sobrecarregar ainda mais o seu estado emocional.

Para mais informações sobre o uso de Bio-Well no esporte, você pode na subseção “Pesquisa” da seção de ciência.

O stress é um fator complexo que tem tanto um componente emocional (ansiedade) e um componente somático que resulta da exposição prolongada a ansiedade permanente. O estresse tem impacto muito forte sobre o campo de energia. Imagens parecem muito específicas. Vejamos alguns exemplos.

Como você vê a imagem é muito desordenado e vazia. Isto não tem nada a ver com a condição de saúde, mas o stress permanente e ansiedade podem ter implicações muito negativas para a saúde.

Outro exemplo de pessoa muito estressado. Depois de ver esta imagem, ela entendeu que esta condição pode ter efeito muito negativo. Ela começou um curso de meditação e terapia anti-stress especial. Em meio ano a situação mudou dramaticamente (ver abaixo)

Estando aliviada pelo efeito ela começou com a terapia e meio ano depois a melhoria tornou-se ainda mais clara (ver abaixo)

Este é um bom exemplo de como você pode acompanhar a transformação de sua condição sob a influência de tratamento diferentes.

De muitos anos de experiência na utilização de análise de campo de energia, podemos concluir que o objetivo de qualquer terapia, exercício ou tratamento deve ser a melhoria da imagem do campo de energia. Esta é uma indicação clara do efeito positivo de uma terapia. Isso pode levar algum tempo – que nem sempre deve esperar efeito imediato, mas no longo prazo o campo de energia deve tornar-se uniforme e equilibrado

Ao mesmo tempo, campo de energia muito grande nem sempre é uma indicação de boa saúde. Como qualquer parâmetro relacionado a saúde, o campo de energia deve estar em algum intervalo. Esta situação pode ser complicado – apenas profissionais especialmente treinados podem detectar problemas de saúde graves como câncer, problemas cardiovasculares e afins. Um sistema de análise de saúde com base na Internet está em desenvolvimento

Para mais informações sobre o uso de Bio-Well para diagnóstico de estresse, você pode na subseção “Investigação” da seção de ciência.

É sabido que as pessoas se sentem diferentes dependendo da situação ambiental. Em alguns lugares você dorme como um bebê e acorda cheio de energia; em outros lugares você tem sonhos maravilhosos e viaja por lugares lindos, enquanto você dorme. No entanto, já há milhares de anos, a existência de locais específicos onde as pessoas não dormem bem, ficam doentes com mais facilidade, ou onde o desempenho é menor foi empiricamente conhecido. Qual é a diferença entre todos esses lugares? Muito pouco é conhecido na ciência ocidental. É evidente que combinações de causas diferentes compõem o fenómeno. Esta é uma combinação da influência da Terra – anomalias subterrâneos, depressões, riachos de água; gases na atmosfera, tanto naturais e industriais; fundo eletromagnética; e a influência do Universo, Sol, Lua e raios cósmicos. Agora é praticamente impossível distinguir entre todos esses fatores, por isso precisamos de um denominador comum para avaliar a situação geral no lugar particular. Única evidência rudimentar está disponível hoje, se tais zonas poderia ser medida usando aparato físico aceito.

O instrumento Bio-Well dá-lhe essa oportunidade. Muitos anos de pesquisa confirmam a ideia que permite avaliar a situação energética no ambiente. Expedições a diferentes partes do mundo: Peru, Colômbia, Índia, Mianmar, Sibéria, e muitos outros demonstraram sensibilidade do instrumento para avaliar o ambiente. Formação cientifica foi desenvolvido e publicado em revistas por revisão, patentes foram concedidas em vários países, e agora este instrumento tornou-se disponível para uso público.

É preciso tomar medição de, pelo menos, 30 min; o tempo máximo não é limitado. Num ambiente calmo, pacifico, após ajuste inicial durante cerca de 5-15 minutos o sinal torna-se muito estável (ver gráfico abaixo).

Nas da zonas Geoactive as variações da energia podem ser muito altas. O gráfico abaixo demonstra a variação de energia dentro e fora do círculo da colheita na Inglaterra no verão de 2006. Como você pode ver, fora a energia círculo da colheita foi bastante estável, enquanto no interior foi aumentando durante todo o tempo de medição.

Mesma forma que você pode detectar a mudança de energia durante o nascer e pôr do sol, ou tempestade se aproximando. Em paralelo, é possível medir a transformação do campo de energia humano – de si mesmo e outras pessoas. Desta forma, você vai ver sua própria reação às mudanças no ambiente. A grande quantidade de dados são apresentados no livro por K. Korotkov “A Energia do Espaço”, que pode ser encontrado na Amazon.com.

Para mais informações sobre o uso de Bio-Well para a pesquisa ambiental, pode, na subseção “Pesquisa” da seção de ciência.